Blindagem de carros: vale a pena? Precisa de documentação? Descubra tudo!

Por: Gregory Packs

Publicado em 18 de outubro de 2022 | Atualizado em 05 de abril de 2024

Capa de artigo blindagem de carros - DOK Despachante- Descrição: foto em preto e branco de carro blindado SUV preto.

Olá, Condutor! Você sabia que a procura por blindagem de carros tem aumentado consideravelmente? 

De acordo com dados da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin), em 2021, foram blindados 20.024 veículos, o que representa um aumento de 45% quando comparado a 2020.  

Apenas no primeiro semestre deste ano, o número de blindagem de veículos chegou a 11.710. Ou seja, tudo indica que 2022 baterá o recorde dos dois últimos anos.  

Quer saber como funciona para blindar o carro, tipos de proteção, média de preços, como regulamentar e muito mais? Então confira este artigo até o final!  

ipva 2024

Blindagem de carros: entenda como funciona 

Blindar um veículo é a maneira que os condutores encontram para ter mais segurança ao circular pelas vias públicas. 

Você sabia que no Brasil, o material usado para blindagem é de responsabilidade do Exército Brasileiro? Isto é, para que o procedimento seja feito, é preciso que a blindadora seja certificada por esse órgão. 

Além disso, também é necessário incluir a informação no Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV). Caso contrário, você poderá ter o carro apreendido e dificuldades futuras, como fazer a transferência por exemplo.  

Quando alguém pensa ou pergunta o que é blindagem de carros, é comum pensarem que a blindagem é uma camada de proteção colocada na parte externa do carro e vidros, mas acontece que, a camada de proteção está por dentro. 

Isso mesmo, para que um carro seja blindado, é preciso desmontá-lo quase por completo. A blindagem nada mais é que a instalação de placas balísticas em diversas partes da carroceria do automóvel. Até os pneus recebem um tipo de proteção. Você vai entender mais sobre isso a seguir!  

Tipos de blindagem de carros 

Há dois tipos de blindagem: a opaca e a transparente. A opaca é utilizada para fazer a proteção da maior parte do veículo, como a carroceria, os pilares, teto, portas e porta-malas. 

Já a blindagem transparente é usada nos vidros. Nesse caso, o que acontece é a troca dos vidros comuns pelos de policarbonato, que impedem a passagem de algumas munições, por exemplo. 

Listamos os principais tipos de materiais usados para a blindagem veicular, são eles: 

  • Aramida: são aplicadas mantas de aramida (material mais resistente que o aço) em toda a extensão do veículo;
  • Aço Balístico: é colocado em pontos estratégicos como colunas e lanternas;
  • Vidros à prova de balas: lâminas com polímeros formam uma camada protetora nos vidros;
  • Cinta Metálica: essa cinta é inserida na parte interna das rodas, o que permite que mesmo que o pneu seja atingido por tiros, conseguirá circular a 20 km/h;
  • Cinta de borracha: também colocada nos pneus, essa cinta permite que o veículo ande por mais 50 quilômetros após ser atingido.

Como é feita a blindagem de veículos 

Hoje, o processo de blindagem é mais fácil do que antigamente, como falaremos mais adiante, mas, ainda sim, existem passos a serem cumpridos. 

O processo deve ser feito por uma blindadora credenciada e pode demorar até 45 dias. É recomendado que o proprietário faça visitas na empresa durante o andamento, para averiguar se o serviço está sendo feito corretamente. 

Apesar de parecer impossível, para que o veículo seja blindado, ele é praticamente todo desmontado, salvo algumas partes, como o conjunto do motor, sistema de câmbio e painel.  

E você sabia que com tantas camadas de proteção, estima-se um aumento de 200 até 800 quilos, a depender do modelo do veículo? Muita coisa, não é mesmo?  

O processo é basicamente assim: desmontagem completa do carro > blindagem de toda a carroceria e pneus > troca de vidros > remontagem > teste e certificação.  

Blindagem de pneus 

Os pneus não podem ser blindados, mas passam por um processo de proteção que os deixam mais resistentes, possibilitando que o veículo circule por mais alguns quilômetros caso sejam atingidos. 

Conforme apresentado, essas proteções podem vir da cinta de borracha que permite ao veículo rodar por mais 50Km, mesmo depois de atingido. 

Ou então, outra possibilidade de “blindar” os pneus é com a cinta metálica, que permite o carro circular por mais um tempo, com velocidade reduzida. 

Blindagem de vidros de carros 

Como vimos, na hora de realizar a blindagem dos vidros, é feita a troca dos vidros comuns pelos de policarbonato. Por ser a parte mais sensível do carro, são necessários alguns cuidados especiais. 

O que pode ocorrer nos vidros e que prejudica a blindagem é a delaminação, isto é, quando a camada de polímero começa a se soltar da placa de vidro.  

Outro problema é quando o vidro perde a sua transparência, o que prejudica o motorista na hora de dirigir. 

É importante lembrar que, em carros com vidros blindados, não é recomendado abrir e fechar as portas com as janelas abertas para não correr o risco de rachá-los ou trincá-los. 

Blindagem de carro forte 

Os carros-fortes são feitos e blindados somente sob encomenda, visando maior segurança. 

O que é de conhecimento público, é que a blindagem dos carros-fortes é da nível III, ou seja, só não protege de tiros de fuzis. 

Na blindagem de nível III, o vidro pode chegar a 21 milímetros, as chapas de aço podem ter 3 milímetros de espessura e são aplicadas 10 camadas de aramida. 

Toda essa proteção faz com que o veículo fique com 130 kg a mais e resista a disparos de calibre Magnum 44. 

Infográfico como é feita a blindagem de carros - DOK Despachante

Níveis de blindagem para carros 

Existem seis níveis de blindagem, porém, não são todos que estão disponíveis para o uso de pessoas civis no Brasil. 

Isso porque, cada tipo de blindagem representa um nível de proteção, sendo o menor, mais barato e menos pesado, e o maior, mais caro e de uso exclusivo das Forças Armadas Brasileiras. 

Vale destacar que os padrões utilizados aqui no país, seguem as normas norte-americanas, ou seja, especificam a quais munições cada blindagem resiste. 

Os tipos de blindagem são: I, II-A, III-A, III, IV e V. Abaixo, você confere o nível de proteção de cada um deles. Os mais comuns no Brasil são os níveis:  II-A e  III-A. 

NÍVEISPROTEÇÃO USO 
Protege contra armas de calibres 22 a 38 e ataques com ferros e pedras Comum 
II-A Resiste às armas do nível I-A, mais a Magnum 357 e pistola 9mm Comum 
III-A Bloqueia o efeito de todas as armas mencionadas e duas outras: a Magnum 44 e a submetralhadora Uzi. Comum. É a proteção utilizada por 95% do mercado, segundo a Abrablin. 
III Barra os disparos de todos os graus mencionados e ainda suporta disparos de fuzis M16, AK-47, AR-15, FAL, G36 e G3. Restrito. É preciso justificar ao Exército o motivo da blindagem e aguardar pela autorização. 
IV Todas as anteriores e mais munições perfurantes, como a 30-06 e a 338 e granadas. Proibido para uso civil, ou seja, restrita apenas às Forças Armadas Brasileiras e transportadores de valores; 
Todas as anteriores e mais munição 12,7 x 9,9mm. As regras são as mesmas da anterior. 

Saiba mais sobre Regularização de Veículos 

Ei, Motorista! Se você chegou até aqui, achamos que também vai precisar saber disso. Confira:   


O que é CR Exército? 

O Certificado de Registro do Exército, conhecido como CR, é um documento geralmente relacionado ao porte de armas, mas que, por muito tempo, também foi obrigatório para os proprietários de carros blindados.  

Hoje, tanto o CR Exército quanto qualquer outra autorização prévia não são mais necessários para a blindagem de automóveis. Mas atenção! Isso não significa que o carro blindado não precise ser legalizado. Entenda a seguir.

Documentação necessária para blindagem de veículos 

Como falado anteriormente, até alguns anos atrás, para blindar um veículo, era necessário solicitar uma autorização do Exército Brasileiro, o CR, com validade de três anos.

Para solicitá-lo, o proprietário do veículo precisava agendar uma data disponível na Região Militar mais próxima e entregar o requerimento do documento. Além disso, também era preciso emitir a Guia de Recolhimento da União (GRU) e pagar uma taxa pelo documento.  

A boa notícia é que as exigências mudaram e o processo de blindagem ficou ainda mais fácil! Desde abril de 2021, entrou em vigor a lei 14.071/20, que desobriga a autorização ou documento para blindagem de veículos.

Veja na íntegra, o que diz o artigo 106 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) na nova lei: 

No caso de fabricação artesanal ou de modificação de veículo ou, ainda, quando ocorrer substituição de equipamento de segurança especificado pelo fabricante, será exigido, para licenciamento e registro, certificado de segurança expedido por instituição técnica credenciada por órgão ou entidade de metrologia legal, conforme norma elaborada pelo CONTRAN. 

Parágrafo único. Quando se tratar de blindagem de veículo, não será exigido qualquer outro documento ou autorização para o registro ou licenciamento.   

Dessa forma, agora para blindar qualquer veículo, só é preciso ter o Certificado de Segurança Veicular (CSV), regulamentado pelo INMETRO, que deve ser emitido por uma empresa licenciada pelo DENATRAN, conforme determina a resolução 292/2008 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN).  

Só então, com o CSV em mãos, será possível regularizar o licenciamento do automóvel.  

Quanto custa para blindar um veículo 

O valor para blindar um veículo varia de acordo com a blindadora que o proprietário escolher para fazer o serviço. Atualmente, existem mais de 70 empresas autorizadas em todo o país.  

Geralmente, considera-se para o orçamento: o modelo do veículo, o valor da mão de obra de blindagem de carros e o preço dos materiais usados que são determinados de acordo com o nível de proteção.  

Então, dependendo da qualidade ou da marca das peças, o valor de blindagem de carros pode sofrer alterações. 

De acordo com a Abralin, o preço da blindagem automotiva tem uma média de R$60 mil a R$70 mil para o procedimento de nível III, quase o mesmo valor de um carro hatch de entrada, como o Renault Kwid, por exemplo. 

Mas, para se ter uma base de quanto custa blindar um carro em 2022, segundo o Portal de Blindados, o valor para a blindagem de nível III-A de modelos sedans como o Corolla, Virtus e Civic, fica em torno de R$65 mil, dependendo da blindadora. 

Já a média de valor da blindagem de carros SUV, como o Compass, T-Cross, XC90, Q7 e X7, é de R$70 mil a R$80 mil.  

Além disso, vale destacar que não recomenda-se a blindagem automotiva de carros com motor 1.0, pois não são potentes o suficiente para aguentar o peso adicional que varia de 200kg a 800kg. Todavia, carros 4×4 podem ser uma boa opção.

Carros com blindagem de fábrica 

Depois de ler tudo isso, você deve estar se perguntando se é possível comprar carros blindados de fábrica, e a resposta é sim. Algumas montadoras oferecem veículos zero km com blindagem no Brasil. 

Geralmente, os modelos blindados de fábrica são da categoria premium, como o Audi Q5, Volvo XC40, XC60, XC90, BMW Série 3, X3 e X5.  

Uma das vantagens dos carros blindados de fábrica é não precisar fazer o desmonte do veículo para então fazer a blindagem. Entretanto, o custo adicional também é alto.  

Vale a pena comprar carro blindado usado? 

Se você tem se perguntado quanto custa um carro blindado usado, saiba que o preço é muito mais acessível do que imagina. 

Isso porque, ao blindar um veículo, ele automaticamente perde o valor por conta das manutenções frequentes. Afinal, o peso extra pode comprometer o desempenho do motor. 

Portanto, apesar do carro blindado usado ser uma alternativa interessante para quem visa mais segurança sem precisar passar pelo custo de blindagem inicial, é preciso atenção aos detalhes. 

Certifique-se de que o veículo está com um bom desempenho mesmo com o peso extra, questione sobre o prazo de validade da blindagem, faça uma vistoria com seu mecânico de confiança antes de fechar negócio, confira se o motor é potente e o mais importante: se a documentação está em dia.  

Afinal, o carro blindado deve estar em conformidade com o Detran e o CRLV deve conter a informação da alteração.  

Outro ponto de atenção é nos sinais de infiltração, pois a umidade pode danificar os materiais utilizados na blindagem, ou seja, diminui a vida útil.  

Também existe a possibilidade de comprar um veículo usado mais em conta pela desvalorização de mercado e pagar para blindá-lo.  

Tabela de níveis de blindagem - DOK Despachante

Garantia de blindagem de carros 

A blindagem de veículos pode salvar a vida do motorista e dos passageiros, por isso, é extremamente importante comprovar a segurança oferecida por esse serviço. 

Para saber se a colocação da blindadora é de garantia, é preciso que elas sejam certificadas e autorizadas pelo Exército Brasileiro a aplicarem blindagens balísticas. Além disso, o selo da Abralin, que garante a qualidade do material e dos testes utilizados, é fundamental. 

Mas de modo geral, as empresas oferecem uma garantia de blindagem de carros de até dois anos que cobre apenas defeitos. Portanto, a blindadora não indeniza acidentes, a não ser que você contrate um seguro auto. 

Como funciona o seguro para carro blindado [preço] 

Apesar de ser fundamental para proteger o seu automóvel, o seguro para carro blindado existe, mas assim como a blindagem, o custo costuma ser mais alto que o esperado.  

Isso acontece, pois, caso o veículo sofra algum dano, é mais difícil encontrar peças de reposição, bem como mão de obra especializada para refazer a proteção danificada. Aumentando assim, o valor do sinistro.  

Vale destacar que algumas seguradoras recusam seguros para carros blindados com mais de cinco anos de mercado. 

De qualquer forma, fazer um seguro é fundamental para evitar prejuízos e dores de cabeça. Antes de fechar negócio, consulte esse tipo de cobertura adicional. E se você precisa de seguro para o seu veículo, cote grátis aqui!  

Validade de blindagem automotiva 

Há diversas controvérsias quando o assunto é a validade da blindagem. Algumas pessoas afirmam que a blindagem pode durar de 5 a 10 anos, se for de boa qualidade. Outras, garantem o mesmo tempo que a vida útil do veículo. 

O que acontece é que a blindagem opaca, a que fica na parte interna do veículo, é realmente resistente e pode sim durar por um longo período. Porém, a blindagem transparente, a que fica nos vidros, pode ser danificada mais rapidamente. 

Antes das alterações na lei da blindagem, que ocorreu em 2017, quando um vidro blindado era danificado, era possível fazer o reparo no próprio item, arrumando apenas a parte atingida. Hoje em dia, é necessário trocar o vidro por completo. 

A blindagem em si não tem uma data de validade específica, entretanto, é fundamental que o veículo passe por constantes revisões e manutenções para garantir a integridade e alinhamento corretos dos materiais protetivos.  

Teste de blindagem de carros 

Após todo o procedimento de desmonte, aplicação das camadas de blindagem e remontagem, os veículos passam por dois importantes testes. 

O primeiro deles é o “teste de tempestade”, realizado em um local fechado, com chuveiros que simulam uma tormenta para verificar se o veículo está com algum vazamento e/ou precisa de reparos. 

O segundo, e mais importante, é o teste de balística. Nesse, diferentes tiros de armas são disparados para  comprovar a resistência dos produtos, de acordo com o nível determinado. 

Como é feita a manutenção de carro blindado? 

Sinônimo de segurança, os carros à prova de balas precisam passar por revisões e manutenções com mais frequência que outros veículos, devido ao peso adicional que provoca o desgaste prematuro de diversos componentes do carro.  

Elementos como amortecedores, suspensão, freios e pneus são os mais afetados pela sobrecarga e têm vida útil reduzida.  

Entretanto, sem dúvidas, o que exige mais atenção no veículo blindado é a manutenção dos vidros, pois são os alvos da delaminação e necessitam de cuidados especiais. Continue neste artigo para entender melhor. 

Veja a seguir os pontos que você precisa conferir na hora de fazer a manutenção do seu blindado: 

  • Sinais de infiltração;
  • Condições de molas e amortecedores;
  • Existência de ruídos causados por desalinhamento da manta de aramida;
  • Trincas, rachaduras, opacidade nos vidros;
  • Integridade de borrachas que compõe o sistema de blindagem;
  • Amortecedores de portas e porta-malas;
  • Potência do motor elétrico de fechamento de vidros;
  • Alinhamento de portas;
  • Lubrificação de calhas das janelas;
  • Presença de odores de mofo;
  • Pastilhas de freios.

A frequência de revisão deve seguir o prazo indicado pela blindadora. As recomendações podem variar de uma empresa para outra, mas geralmente se encontram na faixa de a cada quatro ou seis meses. 

Vantagens e desvantagens da Blindagem de Veículos 

Quer blindar seu veículo, mas está em dúvida se vale ou não a pena? Separamos vários prós e contras desse procedimento para que possa decidir se ele faz sentido para você. Veja a seguir! 

Vantagens de blindar um veículo 

Pensar em carro blindado é pensar em segurança. Afinal, a blindagem automotiva é uma transformação veicular voltada para a proteção do motorista e passageiros, que torna o veículo resistente a quase todas as armas de fogo, explosões e furtos, dependendo do nível da blindagem. 

Além disso, a blindagem de carro barra o barulho externo, tornando a viagem mais silenciosa, o que melhora a concentração do motorista e o conforto dos passageiros. 

Desvantagens da blindagem de carro 

Apesar do veículo blindado ser sinônimo de segurança, existem algumas desvantagens em se ter um. Confira: 

1- Dificuldade de revenda

Ainda que o procedimento esteja em alta no Brasil, existe uma baixa procura na compra de um carro usado que já esteja blindado. Por isso, o valor de revenda costuma ser menor que o esperado. 

2- Rendimento

A blindagem adiciona pelo menos 200kg extra ao veículo, o que sobrecarrega e reduz a potência do motor, podendo levar ao aumento do consumo do combustível. 

3- Custo do Serviço

O custo para blindar um carro não é baixo, como visto acima, e dificilmente será repassado no momento da revenda devido à baixa procura de usados com essa característica.  

4- Custo de Manutenção

A alteração no peso do veículo diminui o tempo de vida de peças como, por exemplo, amortecedores, suspensão e freios. Por isso, a manutenção deve ser feita com maior frequência. 

 5- Cuidados especiais

Existem cuidados que se não forem priorizados, causam prejuízos financeiros, à integridade da blindagem e de outras peças do carro. Falaremos mais disso adiante. 

Infográfico vantagens e desvantagens da blindagem de carro - DOK Despachante

Cuidados Especiais com Carro Blindado 

Extremamente resistentes, mas não invencíveis, os blindados precisam de cuidados especiais para serem, de fato, seguros. Confira: 

Lavagem dos Vidros 

Os vidros não devem ser lavados com força ou produtos químicos diferentes do sabão neutro. Dessa forma, preserva-se a integridade do material e a delaminação é evitada. Uma boa opção é a lavagem a seco.

Choque térmico 

Ainda falando em vidros, é fundamental que eles não sofram nenhuma espécie de choque térmico, uma vez que podem trincar ou rachar nessas condições.

Por isso, estacione o blindado somente em lugares cobertos, longe da exposição excessiva do sol e protegido contra chuvas inesperadas em dias muitos quentes.  

Além disso, é importante cautela com a direção do ar-condicionado, principalmente em momentos que o veículo vira uma “estufa” devido à alta temperatura. 

Portas Pesadas 

Como falado anteriormente, o processo de blindagem altera drasticamente o peso do veículo e as portas não são exceção. Por isso, evite deixá-las abertas sem necessidade, uma vez que isso pode desalinhá-las ou deformá-las. 

Vidros Fechados 

Não faz sentido blindar um veículo e sair por aí desfilando de janelas abertas, certo?

Além de ser uma medida de proteção, manter os vidros sempre fechados impede trincas e rachaduras no momento de fechar as portas (que já estão mais pesadas) e estende a vida útil do motor elétrico de fechamento das janelas. 

Estacionamento plano 

Estacionar com muita frequência em locais desnivelados pode provocar o desalinhamento do material blindante que fica por dentro da carroceria. Desse modo, prefira sempre vagas planas para prolongar a integridade da blindagem. 

Conclusão 

Neste artigo, você pôde entender tudo sobre a blindagem de carros e se inteirar de todas as mudanças na regularização desse processo.  

Além disso, ficou por dentro dos custos, níveis, tipos, vantagens e desvantagens e agora tem as ferramentas necessárias para decidir se vale a pena — ou não! — blindar o seu veículo. 

Curtiu o conteúdo e quer ficar sempre atualizado? Acesse nosso blog e siga-nos no YouTube, LinkedIn, Facebook e Instagram

TAGS: blindagem nível / o que é carro blindado / carros blindados de fábrica / blindar ou brindar



Perguntas Frequentes

Quanto custa para blindar um veículo?
Para uma blindagem de nível III, o preço varia de R$60 mil a R$80 mil, dependendo do modelo de carro.
Posso blindar somente os vidros?
Não. O Artigo 66 da Portaria nº 94-COLOG, diz que o nível de proteção balística deve ser o mesmo em todo o veículo automotor blindado, ressalvadas as viaturas de órgãos de segurança e ordem pública.
Blindagem de carro tem prazo de validade?
Não há um consenso. O que acontece é que a blindagem que fica na parte interna do veículo é realmente resistente e dura por longos períodos. Já a blindagem dos vidros pode ser danificada mais rapidamente. De toda forma, o veículo deve passar por revisões periódicas.
Posts relacionados